Olá! Tudo bem?

Solicite nosso Contato!

[contact-form-7 404 "Not Found"]

O E-mail Marketing morreu? Ainda vale a pena investir nisso?

Email Marketing - Conversão Prática
Email Marketing - Conversão Prática

O E-mail marketing morreu? Essa é uma pergunta que já fizeram a mim e que eu já vi fazerem para vários influenciadores digitais, agências de marketing e sites na Internet.

A resposta, para os haters do meio mais antigo de comunicação da Internet, acaba sendo um pouco decepcionante, e para quem ama, precisa ou simplesmente usa a ferramenta, uma boa notícia: o e-mail marketing está mais vivo do que nunca!

Cada vez mais empresas utilizam do e-mail marketing para comunicar promoções, novidades e até vender produtos para os seus clientes cadastrados e fãs num geral. Porém, não é por isso que o e-mail marketing se encontra fora de risco de vida, não.

O e-mail marketing verdadeiro vai bem, obrigado!

Existe uma ameaça bem grande àquele que ainda é o mais eficiente meio de nutrir leads: o mau uso da ferramenta.

Você se cadastraria no mailing de uma empresa que te enviaria e-mails diários, sempre com os mesmos assuntos, tentando te vender algo? Eu te garanto que não me cadastraria, e você também não deve divulgar seu endereço de e-mail dessa forma.

O e-mail marketing verdadeiro está mais vivo do que nunca, já a velha e manjada forma de comprar leads e tentar vender produtos compulsivamente pode ser enterrada e visitada no cemitério mais próximo. Mas, cá entre nós: ninguém vai comparecer no velório.

São inúmeras, repito, inúmeras as empresas que compram listas de e-mails para disparar dezenas de conteúdos diários para os endereços adquiridos, sem sequer entender se esses e-mails pertencem a usuários válidos, que correspondem ao público-alvo.

Os riscos disso são os seguintes:

  • Cair numa lista negra, onde o seu domínio será prejudicado para sempre;
  • Queimar a imagem da sua marca na Internet;
  • Seu negócio considerado uma fraude ou spammer;
  • Você se tornar “mais um vendedor desesperado tentando vender a qualquer custo”.

Isso sem contar no desperdício de dinheiro, que poderia ser direcionado a estratégias assertivas, mais baratas e com a garantia de resultados verdadeiros.

Quem compra lead está errado, então?

Bom, isso é subjetivo para uns e extremamente errado para outros. Existem empresas que vendem leads qualificados a empresas de determinados segmentos, mas isso não significa que você terá algum resultado com eles.

Além disso, você deve se comprometer a não compartilhar os dados dos usuários que se cadastram no seu mailing, logo, quando alguém vende um lead, está ferindo o que foi acordado anteriormente, e isso é um problema sério.

Empresas na Europa e também nos Estados Unidos têm se envolvido em diversas polêmicas em relação ao compartilhamento de dados dos usuários (deixarei o link de algumas notícias ao final do post). Por isso, quanto mais transparente, mais fiel às vontades do consumidor, melhor.

E o que consumidor quer com seus e-mails marketing, afinal?

A resposta, meu amigo, está no relacionamento. É isso que você deve buscar, acima de tudo.

Tudo tem seu tempo, inclusive aquela proposta de venda matadora que você quer enviar HOJE…

O E-mail Marketing é uma ferramenta que deve ser utilizada para se relacionar, e não simplesmente para vender. É o seu relacionamento com o cliente em potencial que deverá gerar alguma venda a curto, médio ou longo prazo… Mas, então isso significa que TODO RELACIONAMENTO GERA VENDA?

Não, de jeito nenhum. Você terá muitos leads frios, que deverão ser descartados conforme o tempo passa ou, se preferir, recolocados em categorias diferentes, em que os conteúdos enviados serão voltados para uma outra finalidade, que pode ser a de informar, por exemplo.

E-mail marketing: conteúdos diferentes para diferentes fins

Existem diferentes finalidades para um e-mail marketing ser enviado. Porém, o que todas elas compartilham em comum é o relacionamento, e mesmo que o cadastro seja feito em uma página de vendas, ainda será preciso se relacionar após a venda ser concretizada. Faz parte!

Por isso, entenda a versão resumida de tudo isso que falei: o e-mail marketing é feito de fases, e em todas elas, você deverá se relacionar com o cliente ou potencial cliente. Jamais passe a sensação de que o usuário só importa até o momento da venda e que depois disso o suporte acaba. Esse é o maior erro das empresas que pensam praticar o marketing digital e que, na verdade, só estão estendendo algumas práticas nada saudáveis ao ambiente virtual.

No meu próximo post, falarei sobre o WhatsApp como um meio eficaz para vender e se relacionar com o cliente. E fique ligado: no futuro, retomarei o e-mail marketing em um post ainda mais completo, com as fases do e-mail marketing e o que fazer em cada uma delas.

Compartilhe!